Agora, a APEX impulsiona a utilização de classe executiva em função de decreto de Bolsonaro

Com informações do portal da CNN Brasil, o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto que autoriza ministros e servidores em cargos ou funções de confiança a viajarem de classe executiva em voos internacionais de sete horas de duração ou mais. A autorização vale para as viagens a serviço da União. O decreto foi publicado nno último dia 12 no Diário Oficial da União.

Em 2018, o então presidente Michel Temer havia decretado que as passagens aéreas para tais viagens deveriam ser “sempre na classe econômica”. Caso o ministro ou servidor optassem por outra categoria, a diferença seria paga por ele e não pela União.

APEX

Se valendo disso, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) decidiu estender o benefícios a funcionários e convidados. A informação foi publicada na Folha de S. Paulo, nesta terça-feira (8).

Entre os convidados da agência de promoção do comércio exterior estão representantes de setores produtivos no Brasil e no exterior, além de congressistas. Até então, a benesse se restringia a integrantes da diretoria-executiva e dos conselhos deliberativo e fiscal. Incluía, em alguns casos, quem os acompanhasse.

A agência é uma pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos. Vinculada ao Ministério das Relações Exteriores, tem receita total prevista de R$ 1,4 bilhão em 2022 e está sujeita à influência política. O órgão recebe recursos, tanto públicos quanto privados, por meio de contratos de gestão, e tem 370 funcionários, incluindo diretores.

LEIA TAMBÉM

AG – PILOTO – HOME E SIDEBAR – 300×250

LEIA TAMBÉM